Mês: agosto 2020

Foto capa da postagem sobre escrever para fazer florescer no site Gabriela Araujo. Escrita & cultura

Escrever para fazer florescer: a redescoberta de si

Desde que me voltei seriamente para a escrita como caminho profissional há alguns meses, estive numa busca pela minha voz. O que é que queria dizer com a minha escrita? Após um tempo de deliberação, entendi que o meu objetivo era escrever para fazer florescer.

Essa conclusão aconteceu depois que perguntei para mim mesma o que eu mais amava na escrita. Como resposta descobri que era a possibilidade de nos aproximar através de sentimentos compartilhados.

Leia mais “Escrever para fazer florescer: a redescoberta de si”
Foto capa da postagem sobre arte no site Gabriela Araujo. Desenvolvimento pessoal

A arte como norma em tempos anormais

Desde o início do isolamento causado pela pandemia, a arte se mostrou o refúgio para o qual a maioria das pessoas correu. Isso fez renascer o debate sobre a falta de valorização da arte no país, tanto no âmbito financeiro como de relevância social.

Concordo com esse apontamento, mas no ponto de vista do processo criativo penso que a arte vai até mais além.

Leia mais “A arte como norma em tempos anormais”
Foto capa da postagem sobre ser igual a trabalho no site Gabriela Araujo. Desenvolvimento pessoal

Por que pensamos que ser é igual a trabalho?

“O que você quer ser quando crescer?”

Eu não lhe conheço, caro leitor, nem muito menos sei sua história de vida, mas sei que existe ao menos 98% de chance de você ter ouvido essa pergunta quando jovem.

Sei que eu já ouvi bastante e, quando criança, era uma pergunta que me deixava por dias a fio pensando na resposta apropriada. Ao ouvir as respostas dos outros, me deparei com palavras como “advogada”, “professora” e “médica”. Então entendi cedo que o que me tornaria era o trabalho que faria.

Leia mais “Por que pensamos que ser é igual a trabalho?”