Para quem quer aumentar a produtividade: dedique-se ao ócio

Foto capa do artigo sobre produtividade no site Gabriela Araujo Carreira & Trabalho

Nas últimas semanas, comecei a perceber uma queda em minha produtividade. Eu não estava tendo ideias para redigir textos e quanto mais tentava me forçar à escrever, menos conseguia.

Ao observar minha rotina, percebi uma mudança de comportamento: na minha sede por engatar na escrita, estava passando horas imersas em planejamento e pouco tempo me inspirando.

O elo entre consumo & criação

Produzir conteúdo em qualquer formato requer uma bagagem de referências. Nossos pensamentos são resultados do que vimos e sentimos e logo nossa criatividade é aguçada por tudo aquilo que nós consumimos.

Se paramos ou reduzimos as referências que consumimos, similarmente estamos condenando nossa produtividade ao declínio.

Ainda que você não trabalhe com conteúdo, pode estar dando um tiro no pé ao não se dedicar o suficiente ao que é combustível para o que faz.

Por exemplo se você trabalha como psicólogo, sabe o que os blogs da área têm publicado de novidade?

Muito é falado sobre a necessidade de se empenhar em sua atividade principal diariamente para alcançar a excelência, mas a sua mente precisa de estímulos para além do que você a alimenta.

Às vezes um filme romântico pode despertar em nós a ideia para alavancar um projeto de contabilidade graças a um pequeno detalhe. Um livro biográfico pode ser o grande propulsor para impulsionar uma mudança em nossa estratégia.

Ademais é extremamente importante se atentar ao que pessoas que ocupam cargos parecidos com o seu têm a dizer.

Para além da forma como enxergamos nossa área, é interessante se informar sobre diferentes pontos de vista.

Para isso o LinkedIn pode ser incrível. De que adianta ter tantas conexões com pessoas que são autoridades em suas áreas se não tiramos o tempo para nos inteirar do que elas produzem?

Já considerou que até aquele perfil no Instagram que compartilha frases humoradas pode despertar uma nova perspectiva? Tudo ao nosso redor pode nos inspirar e por isso é bacana acompanhar temas diversos.

O equilíbrio entre trabalho & sossego

Finalmente, dedicar-se ao ócio é igualmente importante para que nossa mente tenha descanso. Principalmente quando estamos muito entusiasmados com uma ideia, acabamos passando dos limites na euforia de torná-la real.

E se nosso cérebro estiver exausto, nossa produtividade também é afetada. O cansaço físico se resolve com horas de um bom sono, mas a fadiga mental nem sempre é facilmente solucionada.

Pense como se sua mente estivesse fervilhando após trabalhar por muito tempo a todo vapor e o que ela precisa de imediato não é que a desligue, mas sim de um demorado banho que a refresque.

Banhemos nossas mentes com frequência e novas ideias virão.

Quanto tempo por dia você dedica à tarefas que te proporcionam prazer?

Foto em destaque de autoria do fotógrafo Engin Akyurt e retirada do site Pexels. Está de acordo com a política de direitos autorais do site.

1 COMMENT
  • A arte como norma em tempos anormais - Gabriela Araujo
    Responder

    […] já escrevi um artigo sobre a importância do ócio criativo para a nossa produtividade. Através de livros, filmes, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: