Como saber se o trabalho freelancer é para você?

Foto capa da postagem sobre trabalho freelancer no site Gabriela Araujo. Carreira & Trabalho

O trabalho sofreu muitas revoluções ao longo do tempo. Há algumas décadas, a conquista dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT foi um grande marco na vida de pessoas que trabalhavam horas abusivas. Hoje, a rotina CLT não faz sentido para muitos trabalhadores, que estão vendo no trabalho freelancer uma melhor opção.

Mas como saber se esse novo estilo de trabalho é para você? É bastante simples: através de informação e, é claro, vivência na prática. Agora, se as características do trabalho freelancer são vantagens ou desvantagens, vai depender muito de acordo com o que prefere. E por isso trouxe hoje 9 características da rotina de um freela para que saiba na íntegra o que ela compõe.

O trabalho freelancer é para você se…

… a flexibilidade é importante na sua vida

Definitivamente a flexibilidade é um dos principais componentes quando pensamos no trabalho freelancer. Aqui você tem a liberdade de fazer os seus próprios horários e organizar sua agenda de acordo com as suas preferências.

Gosta mais de trabalhar à noite? Você pode fazer isso. Seu sonho é tirar um cochilo todos os dias depois do almoço? Opa, também é possível. Quando você é freelancer, você é o seu próprio chefe e cabe à você tomar decisões importantes.

Ser freelancer significa ter mais liberdade para ajustar sua rotina e deixá-la do seu jeitinho, sem muitas firulas. Contudo, ao mesmo passo que lhe cabe à liberdade, lembre-se que também lhe cabe à disciplina.

…. não gosta de uma rotina engessada

Se você gosta de viver dias diferentes ao invés de uma rotina rígida, o trabalho freelancer também pode ser uma boa opção. Como aqui tem a possibilidade de definir sua agenda, pode montar um calendário da semana com atividades variadas.

Não é necessário esperar o fim de semana chegar para desfrutar de um cinema no meio da tarde ou um almoço em um lugar bacana. A sua rotina pode ser ajustável, alternando momentos de trabalho e lazer.

Isso é interessante para combater à fadiga laboral bem como estimula a sua motivação. Mas claramente que isso vai depender do tipo de trabalho que exerce.

Por exemplo, alguém que atende clientes na Tailândia pode precisar estar disponível sempre em determinado período por conta da diferença no fuso horário. Você precisa analisar as características do seu trabalho, e com o tempo, vai pegar a manha e conseguirá adequar seu cotidiano de acordo.

… não curte o dia a dia cansativo da comutação (casa/trabalho/casa)

Essa característica é uma favorita para muitas pessoas, com certeza. Não precisar passar horas no trânsito ou apertado que nem sardinha em lata no metrô é uma grande tentação para quem mora nas grandes cidades.

Um cenário comum em muitos países é que as pessoas moram em subúrbios e trabalham nos centros. Isso acarreta no famoso “horário do rush”, que leva muitos trabalhadores à chegarem nos escritórios já estressados.

Se você é freela, pode trabalhar de casa ou de onde você quiser. Liberdade, lembra? De repente seu tipo de trabalho até implica em fazer atendimentos em empresas, mas se você conseguir negociar os horários desses atendimentos, já pode se livrar do sufoco do rush.

Foto 2 representando trabalho freelancer no site Gabriela Araujo.
Foto por Daria Shevtsova no site Unsplash.

… se sente inadequado nas dinâmicas do mundo corporativo

Você é alguém que se sente muito incomodado com o cotidiano no mundo corporativo? Isso envolve hierarquia de posições, possíveis picuinhas entre colegas de trabalho, trabalhar em um ambiente fechado com muitas pessoas, a eterna briga por aumentar ou diminuir a potência do ar condicionado, etc.

Entende onde quero chegar, né? Pessoalmente, o mundo corporativo nunca me agradou e foi fácil perceber isso já no meu primeiro estágio. Mas isso varia de pessoa para pessoa. É nele também onde você transforma colegas de trabalho em amigos, onde faz pausas para o café na copa da empresa batendo um papo descompromissado, e é ele que eventualmente te fornece um plano de carreira com um caminho claro de crescimento.

Caso esteja incerto nesse momento, recorra à clássica “lista de prós e contras”. Rascunhe num papel as vantagens e desvantagens de vivenciar o mundo corporativo. Ela será um bom guia para que entenda qual é o caminho para você.

… já adota ou está disposto a adotar disciplina por conta própria, sem ninguém precisar cobrar

A disciplina já foi mencionada anteriormente, mas é importante separar um tópico somente para ela. Uma das grandes vilãs do freela é a procrastinação e para combatê-la, você precisará ter uma forte disciplina.

Você ainda possui responsabilidades e prazos, ou seja, vai precisar ser produtivo sem ninguém te cobrar. Isso pode ser um grande desafio, principalmente no início, mas falará muito a respeito de seu profissionalismo e comprometimento.

No trabalho freelancer, ou você aprende a gerenciar suas obrigações de forma efetiva ou definitivamente não conseguirá nada com ele. Pode até dar um frio na barriga ler a frase dessa maneira, mas é real. Você é seu próprio chefe sim, para o bem e para o mal.

… aprecia a autonomia de fazer as próprias regras

Ah, a delícia de não ter ninguém para mandar em você. Ah, o desespero de não ter ninguém para mandar em você. Como diria a senhora minha mãe, “é uma faca de dois gumes”.

Por um lado, é incrível ter independência porque não precisa se preocupar em lidar com alguém que de repente tem um mau temperamento ou que não sabe liderar, somente proferir ordens. Ou com alguém que, ao invés de te permitir a autonomia para executar seu trabalho, mata a sua individualidade.

Por outro lado, se você faz as próprias regras, também deve ter a coragem de lidar com as consequências delas. Se você tem autonomia, também deve ter a sabedoria para supervisionar a qualidade do próprio trabalho.

Ficará sob sua responsabilidade estabelecer a quantidade de horas trabalhadas, realizar o planejamento de prioridades, monitorar o agendamento e presença (virtual ou não) em reuniões. Também precisará fazer a captação de clientes e cobranças, analisar erros e resultados, implementar alterações necessárias, etc.

É importante ter noção de que todo o processo recairá exclusivamente sobre você e dependerá de você para acontecer com sucesso.

… tem total ciência de que não contará com um salário fixo e uma fonte de renda estável

Uma das maiores preocupações dos freelas é a instabilidade financeira. Quem já exerce a função há muito tempo consegue contornar isso melhor, porque já estabeleceu clientes ou uma reputação ao longo do tempo e pode fazer uma previsão de “salário” mensal.

Quem está no começo, por sua vez, por vezes prefere separar uma reserva financeira antes de começar ou então iniciar o trabalho freela em paralelo com um trabalho fixo. Na verdade, a reserva financeira é interessante, seja você experiente ou não.

O momento pandêmico que estamos vivendo, por exemplo, é um sinal claro de que a vida é imprevisível e que é importante estar preparado para eventualidades. Ser freela é analisar esses riscos e pressionar o botão “estou ciente e quero continuar”.

… possui condições que se adequem à essa realidade 

Possuir condições que se adequem ao trabalho freelancer é essencial. O que eu quero dizer com isso?

Suponha que seu tipo de trabalho te permita trabalhar de casa, então deve se perguntar: minha casa pode funcionar como um local de trabalho com tranquilidade? Considere o número de pessoas que mora com você e as rotinas delas… Elas passam o dia em casa? Quando estão em casa, fazem muito barulho? Elas requerem muito a sua atenção?

Pensando sobre a instabilidade financeira mencionada anteriormente, quais as despesas que possui e elas podem ser sanadas com seu trabalho freelancer? Você precisa pagar aluguel ou prestação do imóvel? Se possui filhos pequenos, precisa pagar uma creche para eles ou uma babá? Se já são grandes, e a mensalidade da escola, do cursinho de inglês, do ballet?

Adicionalmente, se você não puder trabalhar de casa por quaisquer razões, seria possível frequentar um espaço de coworking? Esse local é perto de sua residência ou precisaria gastar dinheiro com transporte público/gasolina/gás? Conseguiria retornar à casa para almoçar ou faria sua refeição na rua?

São muitas possibilidades e questões a serem pensadas de acordo com a realidade de cada um. Pense que essa transição de estilo de trabalho pode pedir que você adeque todos os setores de sua vida e é preciso estar preparado para isso.

Foto 1 representando trabalho freelancer no site Gabriela Araujo.
Foto por Emma Matthews retirada do site Unsplash.

… sabe (ou se empenha para) equilibrar trabalho e saúde mental

Um dos grandes erros que alguns freelas cometem é negligenciar o impacto do trabalho freelancer na saúde mental. Quando estamos atendendo por conta própria, muitas vezes de dentro de nossos quartos, os limites entre lazer e trabalho se confundem.

Novamente vou utilizar um exemplo meu: estabelecer esse limite é uma grande dificuldade para mim porque o meu laptop é tanto minha ferramenta de trabalho como a minha ferramenta de lazer.

É através dele que gerencio (quase) todos os setores da minha vida: é onde planejo o que vou escrever, por prazer e pelo trabalho, é lá que gerencio o meu site pessoal e o meu blog. Por ele também converso com clientes e prospecto novos, nele assisto minhas séries e filmes bem como acesso meus e-mails e leio notícias, artigos no LinkedIn, interajo com as pessoas.

Por vezes fica bem difícil definir se o que estou fazendo é trabalho ou não porque tudo parte desse laptop pelo qual vos escrevo. Minhas ações são norteadas por ele, e aí, quando vou contabilizar horas dedicadas ao trabalho, passaram mais de 12… E pense comigo: se estivesse trabalhando no regime CLT, estaríamos aceitando trabalhar tudo isso?

Freelas ficam extremamente suscetíveis à síndrome de Burnout porque não sabem dosar o ritmo de trabalho e os intervalos. Devemos ficar atentos ao esgotamento físico e psicológico graças à rotina de trabalho que nós mesmos estabelecemos.

O equilíbrio é a palavra chave para absolutamente tudo o que fazemos e precisamos de descanso, de momentos de ócio (criativo ou não) porque somos pessoas para além de nossos trabalhos. Porque precisamos garantir que nos manteremos saudáveis.

Somos aqui também os únicos responsáveis por não explorar à nós mesmos.

E agora, conte para mim, o trabalho freelancer é ou não é para você?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: