Tag: <span>Sociedade</span>

Desenvolvimento pessoal

Reflexões sobre o Brasil com 5 frases de Emicida

É bem provável que já ouviu falar em Leandro Roque de Oliveira, a.k.a, Emicida. Seu nome artístico originalmente juntava os termos “Mc” com “homicida”, já que seus amigos o chamavam de “assassino” por “matar” os adversários através das rimas.

Posteriormente, começou a utilizar E.M.I.C.I.D.A. como um acrônimo para “Enquanto Minha Imaginação Compuser Insanidades Domino a Arte”. Emicida é um rapper, cantor e compositor brasileiro que, famoso não só pelas rimas improvisadas, como também pelo seu posicionamento de denúncia às injustiças sociais e violências raciais.

Por isso hoje reuni cinco declarações feitas pelo rapper para pensar a sociedade brasileira:

Leia mais “Reflexões sobre o Brasil com 5 frases de Emicida”
Foto capa da postagem sobre ser igual a trabalho no site Gabriela Araujo. Desenvolvimento pessoal

Por que pensamos que ser é igual a trabalho?

“O que você quer ser quando crescer?”

Eu não lhe conheço, caro leitor, nem muito menos sei sua história de vida, mas sei que existe ao menos 98% de chance de você ter ouvido essa pergunta quando jovem.

Sei que eu já ouvi bastante e, quando criança, era uma pergunta que me deixava por dias a fio pensando na resposta apropriada. Ao ouvir as respostas dos outros, me deparei com palavras como “advogada”, “professora” e “médica”. Então entendi cedo que o que me tornaria era o trabalho que faria.

Leia mais “Por que pensamos que ser é igual a trabalho?”
Foto capa da postagem sobre urgência em ser urgente no site Gabriela Araujo. Comportamento

Temos urgência em ser urgentes

Nossa obsessão por ser urgentes é resultado do temor pelo esquecimento.

Naqueles momentos em que manda uma mensagem para a pessoa e se encontra inconformado com a demora na resposta. Por que ela não respondeu?, eu posso ver que ela está online.

Então conclui que ela não se importa com você, que está lhe ignorando, que tem coisas mais interessantes para fazer com o seu tempo do que falar contigo ou então deve estar conversando com alguém de quem ela gosta mais.

Por vezes era o simples fato da pessoa ter deixado a janela do Whatsapp Web aberta mesmo. Ou quem sabe ela estava de fato ocupada resolvendo um assunto sério ou ouvindo um áudio longo.

Mas explicações lógicas não cabem no nosso mundo que se inquieta com qualquer tipo de atraso na reciprocidade da atenção.

Leia mais “Temos urgência em ser urgentes”
Foto capa do artigo sobre a música too good at goodbyes no site Gabriela Araujo. Comportamento

“Too good at goodbyes”: sobre relacionamentos modernos

Sam Smith é definitivamente um dos artistas mais promissores atualmente. Seu potencial vocal é quase ridículo de tão incrível, mas penso que para além disso, o senso de familiaridade em suas músicas é a garantia de seu sucesso.

Assim como seus singles Stay with me e I’m not the only one, Too good at goodbyes fala diretamente com o aspecto dos relacionamentos amorosos.

O grande sucesso da temática está associado ao senso de identidade que as pessoas criam com as músicas graças as líricas sobre amor, perda e a dor ao ver uma relação romântica chegar ao fim.

Leia mais ““Too good at goodbyes”: sobre relacionamentos modernos”
Foto capa da prosa Epidemia no site Gabriela Araujo. Poesia

Epidemia

Às vezes acho que vivo num degradê ao contrário do resto do mundo. Enquanto se excitam com o diferente para depois se enjoarem quando se torna igual, sou o contrário: se me encantou em primeiro lugar, o interesse só aumenta com o tempo.

Leia mais “Epidemia”
Foto capa do artigo Chamego que nos falta no site Gabriela Araujo. Comportamento

O chamego que nos falta

É curioso que quando adultos somos negados o chamego que recebe uma criança.

A vida real é que personifica os monstros que viviam debaixo de nossas camas e nos fazem desejar aqueles tempos em que eles eram somente ameaças que nunca se concretizavam.

Quando crescemos é que percebemos a cobrança vinda de todas as direções para parecer imbatível, não importa o que esteja acontecendo debaixo da superfície.

Leia mais “O chamego que nos falta”